Visitantes

domingo, 24 de dezembro de 2017

Se ele não for o primeiro


As minhas inspirações são aleatórias, somem ao mesmo instante que aparecem. Tento aproveitá-las ao máximo. Venho pensando em tudo que já vivi e tenho vivido, não posso negar que tenho muito orgulho de mim. Tenho certeza que eu poderia ser melhor, mas meu comodismo talvez seja freio para que tudo não perca o sentido.

Sentido? Mas se o sentido seja apenas a partir de um ponto de vista. Ontem ao deitar, tive uma auto-reflexão, sobre o todo. Me perguntei se somos seres humanos tendo uma experiência espiritual, ou se somos seres espirituais tendo uma experiência humana. As vezes me perco dentro de mim, durmo para não sentir dor, as vezes durmo pensando em não acordar, e acordo pensando em não dormir.

A inquietação como evidência de existência, parte do pressuposto que a humanidade já está condenada a viver a uma eternidade. Sartre já dizia "Não importa o que fizeram com você, o que importa é que você faz com aquilo que fizeram de do você". Frase essa enfática quanto a importância do homem para a existência. Portanto, pensar na vida é impossível excluir a morte, e assim sendo, torna-se angustiante essa incerteza de que tudo isso seja.

Diante da incerteza da eternidade, muitas vezes se pode pensar se há de convir viver uma "vida severina" ou ela despachar. Entretanto há um contraposto, pois toda ação humana se pauta na busca da felicidade, por isso se tornou a felicidade uma temática capciosa e complexa.

Em meio a busca da felicidade, temos a fé como meio de quietar nossas aflições, o que não nos faz deixar de pensar nas incertezas, porém modera a ponto de ser uma luz no fim no túnel. E no meio de tantas opções, apresenta-se Deus encarnado, através do seu Filho, Jesus. E Cristo, sendo filho de Deus, em sua imagem e semelhança, nos faz também semi-deuses, afinal somos homens.

Sendo eu um deus, posso criar através do meu pensamento o mundo, o meu mundo, ou vários mundos e deles nada e ninguém jamais poderá entrar. Sendo Cristo, Deus encarnado, se revela como o detentor do maior tesouro, e a solução para todos os males, o amor. Espera-se que com o amor tudo seja verdade, tudo seja certeza, se vivo no amor sou dono da riqueza.

Hoje, dia 24 de dezembro de 2017, véspera de natal, compartilho convosco essa mesclagem de pensamentos, que vai das inquietações da existência humana ao conforto da apresentação de Cristo como a solução de todos os problemas. Independente de sua crença, desejo que tenha um feliz natal, que Ele, Cristo, o Filho de Deus encarnado, seja o primeiro em seu coração, pois se ele não for o primeiro, não passará de uma ilusão. Que o Grande Arquiteto do Universo, em sua infinita bondade,  o traga  paz e luz. E que Cristo renasça em seu coração não só no natal, mas em todos os dias de sua vida.

Forte abraço, paz e luz.

Edir Rodrigues

noriega@edirrodrigues.com

5 comentários:

Vinicius Alves Ehlers disse...

E que esse ser Crístico se faça reviver em nossas existências trazendo consciência do que é essa tal felicidade: promover e curtir o amor incondicional pelo/pela próxima/o. Que tenhamos a sabedoria pra promover a harmonia em todos os ambientes em que tenhamos inserção, que esse Jesus bonito e amoroso renasça em nós fazendo com que superemos dores e dissabores da vida corrigindo o que for necessário e melhorando tudo, compreendendo o que disse o psicógrafo musical, o grande poeta Renato Russo.. é preciso amar. e é tudo! Abs querido Edir. Segue apesar da dúvida. Segue por amor que Deus é contigo. Te cobra menos. Vc é massa e saiba que teus anjos te acompanham.

Edir Rodrigues disse...

Obrigado meu amigo, sábias palavras.
Abraço, paz e luz.

Douglas Ramalho disse...

Reflexão muito boa brother 👏

EDILENE ALBUQUERQUE disse...

Leitura perfeita para acompanhar um café. Eu tinha esquecido o quanto vc é profundo e intenso.

Edir Rodrigues disse...

Obrigado meus amigos Vinícius, Douglas e Edilene. Os comentários de vocês são muito importante para sim, estou eternamente grato.