Visitantes

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

De Paraguaio a Venezuelano





Em complemento ao texto anterior, estou aqui para contar a vocês as comemorações do meu aniversário, que foi em 23/09. A largada deu-se no dia 10/09, quando fui ao culto de celebração na Igreja Metodista da Asa Sul, prosseguiu dia 16 e 17/09, participando da edição de 15 anos da Flip Out, umas das mais tradicionais raves da região. Já em 23 fui ao badalado Boteco da Vila, e em 24 fui ao After do Kranti, o festival mais antigo do país, que nesse ano completou dezoito anos. E para finalizar esse ciclo de comemorações, de 29/09 a 01/10 estive na Chapada dos Veadeiros, no município de Alto Paraíso de Goiás, e no povoado de São Jorge, onde pude aproveitar belas cachoeiras e vivi grandes aventuras que vocês logo conhecerão também nessa postagem.

Além de comemoração, completar mais uma ano de vida é um momento de reflexão, pensar na vida, nos anos, na idade, no reconhecimento da existência. Confesso que muitas vezes me perco dentro de mim. É estranho como as coisas acontecem, parece que foi ontem que eu tinha 13 anos. Com o passar do tempo as cobranças chegam, e o pior de tudo é sensação de que se poderia ter feito diferente muitas coisas e não foi feito.

Foi muito bom começar o ciclo de comemorações na igreja, agradecendo a Deus por mais um ano de vida. Penso que a fé que nos faz viver, pois a crença é algo que intangível no sobrenatural. A fé em Deus não tem limite, ultrapassa o que podemos pensar ou imaginar, ela realiza até o que parece difícil de construir em nossas mentes. Deus, obrigado.

Esperei tanto pela Flip Out, que até sonhei. Essa festa é mais que uma festa, é algo mágico, épico, nostálgico. Desde 2013 não perco nenhuma edição, que é anual. Apesar da antecipação do término devido um imprevisto, só tenho a agradecer por cada momento vivido naquela fazenda.

É comum as pessoas se referirem ao aniversário de alguém como o dia especial do aniversariante, e no meu eu me senti realmente especial, e tudo graças a vocês amigos. Agradeço a todos que carinhosamente gastaram um tempinho do seu dia para me desejar feliz aniversário. Deu certo, pois foi um dia muito feliz mesmo. Aos que ligaram, aos que esqueceram, aos que fingiram que esqueceram, aos que não puderam estar on-line. Deus dê em tudo tudo que vocês me de desejaram. Sou uma pessoa muito feliz, feliz mesmo.. Pois tenho pessoas maravilhosas que me cercam.. Uns de bem perto.. Uns de longe... Outros de bem longe... Não importa a distância e sim o carinho... Isso é um presentão de Deus para minha vida..

Um agradecimento especial aos meus amigos Cleyton Luz, Gabriel Henryque e Virgínia Elias, que me acompanharam na noite do meu aniversário ao Boteco da Vila, que me deram a honra de suas ilustres companhias nesse momento tão especial de minha vida. Obrigado. Agradeço também aos meus amigos Dani Jota, Thiago Lima, Wigberto Santos e Pedro Gradim, por me acompanharem no dia 24 ao After do Kranti. Apesar do cansaço, deu para aproveitar muito. Vocês são feras.

Encerrar o ciclo de comemorações do meu aniversário na Chapada dos Veadeiros foi sensacional, perfeito, cada momento vivido uma história boa de se contar. Criado em 1961, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no nordeste do Estado de Goiás, entre os municípios de Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e Colinas do Sul. Protegendo uma área de 65.514 ha de cerrado e altitude, possui formações únicas, centenas de nascentes e cursos d'água, rochas com mais de um bilhão de anos, além de paisagens de rara beleza, com feições que se alteram ao longo do ano. O Parque também preserva áreas de antigos garimpos, como parte da história local e foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, em 2001.

Além da conservação, o Parque tem como objetivos a pesquisa científica, a educação ambiental e a visitação pública. A caminhada e o banhos de cachoeiras são as principais atividades no Parque, nas imensas paisagens da Chapada, numa viagem pelo Cerrado brasileiro nas antigas rotas usadas por garimpeiros, hoje utilizadas pelos visitantes. Com uma distância de 260 km de Brasilia, e 460 km de Goiânia, o Parque está localizado no Distrito de São Jorge, a 36 km do município de Alto Paraíso de Goiás.

A chegada em Alto Paraíso foi na sexta a feira a noite, logo dei uma volta pela cidade, que é muito pequena. A badalação noturna do município é exclusivamente na Avenida Ary Ribeiro Valadão, onde fica os melhores restaurantes, lojas, bares e casas noturnas. Logo na primeira hora fui numa loja muito legal, na qual comprei uma lembrança da chapada, que é uma espécia de quadro, com duas partes circunferenciadas, conectadas por argolas, cuja uma tem a imagem de um ser extraterrestre, e na outra o nome Chapada do Veadeiros - GO. Comprei também na mesma loja uma caixa de incensos, cujo o aroma é muito apreciável.

Na mesma noite da chegada, fui apresentado a algumas pessoas daqui de Brasília, e também conheci nativos do município. Na manhã de sábado, conheci o Marco, um mexicano, que me disse que meu sotaque espanhol é venezuelano. Em partes até concordei com ele, pois apesar de meu professor de espanhol ter sido um cubano, durante um ano assisti programações de canais da televisão venezuelana.

Ainda na manhã de sábado, a caminho do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, conheci a argentino Mathias, que estava acompanhado por um amigo paulista, pegaram carona comigo e o Pedro e nos acompanharam no passeio pelas cachoeiras Canyons e Carioquinhas. Logo que conheci o Mathias, percebi sua dificuldade na comunicação, e para facilitar me comuniquei com ele em espanhol, no desenrolar da conversa, para minha surpresa, ele me perguntou se sou paraguaio. Me disse que meu espanhol tem um sotaque paraguaio. E mais uma vez fiquei surpreso, pois sempre pensei que meu espanhol fosse mais da América Central, em especial cubano, dominicano, porto-riquenho, até mesmo mexicano.

Foram dias de muito de muita diversão e novos conhecimentos, Alto Paraíso é uma cidade mística. Assim como a Chapada Diamantina e Chapada dos Guimarães, a Chapada dos Veadeiros é provida de belezas naturais e avistamentos frequentes de ovin's e principalmente de muita energia, em função das milhares toneladas de cristal quartzo que compõe seu solo. Não é atoa que na entrada da cidade tem um monumento em formato de disco voador. Infelizmente não avistei nenhum ovin, mas amigos já me relataram que já viram, inclusive já vi muito disso em noticiários. Seria fantástico, eu como um ufólogo, presenciar discos voadores na chapada.

Entre os muitos passeios que fiz nessa cidade mística, da nova era, gostei muito de ter ido a noite de sábado ao restaurante japonês Sushi Astral, que tem um excelente atendimento, um som ambiente e agradável, com lounge music e uma decoração temática. O Sushi Astral também fica localizado na Avenida  Ary Ribeiro Valadão.

Enfim, para finalizar todas essas histórias das comemorações do meu aniversário, dou créditos ao meu amigo Pedro Gradim, pela foto que tirou minha na manhã do domingo, na Avenida  Ary Ribeiro Valadão, em frente a um restaurante. Na qual poso ao lado de uma escultura, que trata-se da réplica de O Pensador, uma das mais famosas esculturas do escultor francês Auguste Rodin. Momento que pude refletir minha posição como homem, filósofo e contemporâneo. Obrigado pela leitura do texto até o final, um abraço especial aos meus fãs e amigos que me acompanham nas redes sociais.

Abraço, paz e luz.

Conheça a história de Alto Paraíso de Goiás clicando nesse link: http://www.altoparaiso.go.gov.br/Historia.php